Povos Indígenas nas Nações Unidas: Projeto Acesso Online





 Tipo de curso: Curso de autodidata/individualizado
Duração: 3 módulos
Esforço estimado: 2 – 3 horas por módulo
Exigências: conexão com a Internet

Programa do curso Conheça os especialistas Perguntas fecuentes

 

 

Você é um representante indígena que deseja se envolver com as Nações Unidas? Você trabalha com os Povos Indígenas e quer apoiá-los em seus esforços de defesa de direitos? O Programa de Desenvolvimento das Nações Unidas e a Fundação Tribal Link têm o prazer de oferecer um curso introdutório e individualizado GRATUITO sobre os Povos Indígenas nas Nações Unidas. Este curso consiste em três módulos e baseia-se no principal programa de treinamento do Tribal Links, o Workshop de Treinamento de Capacitação no Projeto Acesso  para os Povos Indígenas. O curso reúne os principais especialistas indígenas que compartilharão sua experiência e seus conhecimentos em fóruns relevantes com múltiplas partes interessadas.

 


Destaques e resultados do curso

  • Obtenção de uma compreensão mais profunda da história e do impacto da defesa dos Povos Indígenas na ONU
  • Compreensão das principais plataformas para advogar em questões indígenas na ONU
  • Aquisição de habilidades para defender com eficácia as questões indígenas na ONU 
  • Integração em uma comunidade de prática comprometida com a defesa efetiva dos povos indígenas na ONU
  • Recebimento de um certificado de conclusão dos parceiros do curso

Objetivos de aprendizagem

Quando o curso for concluído, você:

  • Estará familiarizado com a história do movimento dos Povos Indígenas para reconhecimento nas Nações Unidas
  • Compreenderá as oportunidades de envolvimento e defesa dos Povos Indígenas nas Nações Unidas 
  • Terá o conhecimento dos pontos de entrada para o envolvimento dos Povos Indígenas em vários órgãos e mecanismos das Nações Unidas

Tópicos do curso

O curso abrangerá os seguintes tópicos: 

  • Módulo 1: História dos Povos Indígenas nas Nações Unidas
  • Módulo 2: O Fórum Permanente das Nações Unidas sobre Questões Indígenas
  • Módulo 3 Parte 1: Instrumentos relacionados aos direitos humanos para os povos indígenas
  • Módulo 3 Parte 2: Os ODS e as Convenções do Rio

Requisitos para a conclusão do curso

Para receber o certificado de conclusão do curso, os participantes devem:

  • Ouvir todas as palestras do curso
  • Passar em quatro questionários
  • Completar a pesquisa do curso

Clique em “Inscrever-se” para se registrar hoje. O conteúdo do curso já está disponível. Você pode iniciar e concluir o curso a qualquer momento. Quando você completar todos os requisitos do curso, seu certificado de conclusão do curso será gerado automaticamente e estará disponível para download diretamente da sala do curso.

Se você tiver alguma dúvida, entre em contato com a equipe do Learning for Nature em [email protected].

 

About Instructor

+2100 inscrito(s)
Não inscrito
Grátis

Course Inclui

  • 7 Módulos
  • 24 Activities
  • 4 Cuestionarios
  • Course con certificado
-1 Comments
Newest
Oldest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments

Programa do curso

WelcomeMódulo 1Módulo 2Módulo 3 parte 1Módulo 3 parte 2Principais conclusões

Bem-vindo ao curso

Este módulo serve como uma introdução ao curso.

REQUIRED: Lecture

  • Roberto Mukaro Borrero “Introdução ao Projetos Acesso ”

OPTIONAL: Orientação para o curso

Antes de começar, convidamos você a explorar o e-mail de orientação e assistir ao vídeo instrutivo na seção de Boas-vindas da sala do curso.

OPTIONAL: Instructional video

Para saber como fazer o curso, neste vídeo de instrução, vamos guiá-lo por nossa sala de cursos e explicar como concluir as atividades do curso.

Módulo 1: História dos Povos Indígenas nas Nações Unidas

O módulo 1 fornece uma visão geral da história do trabalho dos Povos Indígenas nas Nações Unidas, delineando o caminho para a adoção da Declaração das Nações Unidas sobre os Direitos dos Povos Indígenas.

OBRIGATÓRIO: Palestras

  • Andrea Carmen "História dos Povos Indígenas nas Nações Unidas"
  • Andrea Carmen "Declaração das Nações Unidas sobre os Direitos dos Povos Indígenas"

OBRIGATÓRIO: Questionário

Cuestionario 1: História dos Povos Indígenas nas Nações Unidas

O questionario 1 verifica a sua compreensão do material abordado nas palestras do Módulo 1.

OPCIONAL: Fórum de discussão

  • Por que os Povos Indígenas originalmente buscaram atenção internacional para os seus problemas nos anos de 1920? Como esses problemas mudaram para você e a sua comunidade desde então?
  • Qual é, na sua opinião, o maior desafio para a implementação da Declaração das Nações Unidas sobre os Direitos dos Povos Indígenas?

Módulo 2: O Fórum Permanente das Nações Unidas sobre Questões Indígenas

O módulo 1 fornece uma visão geral da história do trabalho dos Povos Indígenas nas Nações Unidas, delineando o caminho para a adoção da Declaração das Nações Unidas sobre os Direitos dos Povos Indígenas.

OBRIGATÓRIO: Palestras

  • Mirian Masaquiza "História e mandato da UNPFII"
  • Ghazali Ohorella "Preparando Intervenções para o Fórum Permanente de Assuntos Indígenas (UNPFII)"

OBRIGATÓRIO: Questionário

Questionario 2: O Fórum Permanente das Nações Unidas sobre Questões Indígenas

O cuestionario 2 verifica a sua compreensão do material abordado nas palestras do Módulo 2. Module 2 lectures.

OPCIONAL: Fórum de discussão

Agora que você revisou as diretrizes para preparar intervenções para o UNPFII e examinou exemplos de intervenções, nós convidamos você a experimentar sua própria intervenção. Crie um esboço da sua intervenção e compartilhe com os outros participantes do curso. Nós encorajamos você a revisar e comentar as apresentações dos seus colegas.

Módulo 3 Parte 1: Instrumentos relacionados aos direitos humanos para PI

Módulo 3 Parte 1 descreve as oportunidades para que os Povos Indígenas se envolvam com o Relator Especial sobre os Direitos dos Povos Indígenas, o Mecanismo Especializado sobre os Direitos dos Povos Indígenas, os Órgãos de Tratado da ONU, o Fundo Voluntário da ONU e a Bolsa Indígena OHCHR.

OBRIGATÓRIO: Palestras

  • Jose Francisco Cali Tzay "Relator Especial sobre os Direitos dos Povos Indígenas"
  • Rodion Sulyandziga "Mecanismo Especializado sobre os Direitos dos Povos Indígenas"
  • Jose Francisco Cali Tzay "Órgãos de Tratados das Nações Unidas"
  • Morse Flores "Fundo Voluntário da ONU"
  • Morse Flores "Programa de Bolsa Indígena da OHCHR"

OBRIGATÓRIO: Questionário

Cuestionario 3: Instrumentos relacionados a los derechos humanos para los Pueblos Indígenas

O cuestionario 3 verifica a sua compreensão do material abordado nas palestras do Módulo 3 Parte 1.

OPCIONAL: Fórum de discussão

Entre os povos indígenas, há muitos casos não resolvidos de abusos dos direitos humanos, alguns desses perduram por gerações.

Agora que você tem uma melhor compreensão dos mandatos de cada um dos três principais órgãos encarregados de promover os direitos dos Povos Indígenas em todo o mundo, você pode identificar melhor os limites de seus respectivos mandatos? Você pode compartilhar alguns exemplos?

Com base nos seus pontos fortes e nas suas limitações, você acha que estes três órgãos (UNPFII, Relator Especial e EMRIP) podem trabalhar juntos de forma mais eficaz? Se a resposta for sim, você pode compartilhar exemplos de como?

Módulo 3 Parte 2: Os SDGs e as Convenções do Rio

O Módulo 3 Parte 2 descreve as oportunidades para que os Povos Indígenas se envolvam com a UNFCCC, CBD e Iniciativa do Equador do PNUD.

OBRIGATÓRIO: Palestras

  • Janene Yazzie "Fórum Político de Alto Nível sobre Desenvolvimento Sustentável e os SDGs”
  • Graeme Reed "UNFCCC e os Povos Indígenas"
  • Q"apaj Choque "Envolvendo-se com a Convenção sobre Diversidade Biológica"
  • Martin Sommerschuh "Iniciativa Ecuatorial del PNUD"

OBRIGATÓRIO: Questionário

Cuestionario 4: Os SDGs e as Convenções do Rio

O cuestionario 4 verifica a sua compreensão do material abordado nas palestras do Módulo 3 Parte 2.

OPCIONAL: Fórum de discussão

Em junho de 1992, Povos Indígenas, ambientalistas, ativistas e chefes de estado reuniram-se no Rio de Janeiro, Brasil, para a Cúpula da Terra e o Fórum Global. A Cúpula da Terra, oficialmente chamada de Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento (UNCED), reuniu 118 chefes de estado. A presença dos Povos Indígenas na UNCED e no Fórum Global concentrou a atenção do mundo em sua relação inerentemente profunda e respeitosa com o meio ambiente, e a destruição dessa relação devido aos abusos dos direitos humanos.

De que forma as Convenções do Rio mudaram as narrativas dos Povos Indígenas em nível de país? A sua comunidade está ciente ou em contato com um ponto focal nacional para os SDGs e ou as convenções? Se a resposta for sim, qual tem sido o resultado de sua interação com o ponto focal?

Principais conclusões

Este módulo resume as principais mensagens e do curso.

REQUIRED: Lecture

Tai Pelli, Instrutor e Mentor, Oficina de Treinamento de Capacidade Global de Acesso a Projetos para os Povos Indígenas, resume as principais mensagens e conclusões do curso.

Especialistas do curso

Andrea Carmen, Nação Yaqui, tornou-se membra da equipe do Conselho Internacional do Tratado da Índia em 1983 e Diretora Executiva do mesmo em 1992. Andrea foi líder da equipe de trabalho do IITC sobre a Declaração das Nações Unidas sobre os Direitos dos Povos Indígenas. Em 1997, foi uma das duas representantes indígenas a dirigir-se formalmente à Assembleia Geral da ONU pela primeira vez na Cúpula da Terra +5 da ONU. Em 2006, Andrea foi selecionada como relatora para o Seminário de Peritos da ONU sobre a “Soberania Permanente dos Povos Indígenas sobre os Recursos Naturais e a sua Relação com a Terra”, a primeira mulher indígena a atingir tal feito. Andrea tem sido uma apresentadora especializada em organismos e seminários da ONU abordando uma vasta gama de questões. Em 2019 foi selecionada para representar os Povos Indígenas da América do Norte no novo Grupo de Trabalho Facilitativo para as Comunidades Locais e a Plataforma dos Povos Indígenas da UNFCCC para os seus primeiros três anos de funcionamento. Atualmente é co-presidente desse órgão da ONU.

 


Janene Yazzie é a coordenadora do Programa de Desenvolvimento Sustentável do Conselho Internacional do Tratado Indígena e a representante do Conselho como co-convocadora do Grupo Maior dos Povos Indígenas do Fórum Político de Alto Nível da ONU sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável para 2030. É também co-fundadora da Sixth World Solutions LLP, Navajo Nation Little Colorado River Watershed Chapters Association. É uma organizadora comunitária e defensora dos direitos humanos que tem trabalhado em questões de desenvolvimento e energia com comunidades indígenas em todos os Estados Unidos. Construiu conhecimentos especializados em política de infraestruturas, gestão integrada da terra e da água, e restauração e proteção de sistemas tradicionais de conhecimento ecológico. Localmente, é a gestora de Infraestruturas e Política Indígenas do LatinGroup LLC., através do qual serve como gestora de projeto da Rede de Banda Larga de Laguna, liderado pela Autoridade de Utilidade Pública do Povode Laguna. Também serve como co-presidente do Subcomitê de Valores Tradicionais e Culturais do grupo de trabalho de Política de Investigação Genética da Nação Navajo. Ela faz parte do conselho consultivo da Campanha Oxfam Land Rights Now e é também membro da Right Energy Partnership, uma iniciativa internacional liderada pela IPMG para aplicar um quadro de direitos humanos em projetos de desenvolvimento de energia sustentável a nível mundial.

 


Roberto Múkaro Borrero tem um passado distinto e diversificado no desenvolvimento de políticas e programas e na defesa dos direitos humanos, inclusive na especialização sobre os direitos dos Povos Indígenas. Mantém mais de 20 anos de experiência em envolvimento ativo no sistema das Nações Unidas em áreas temáticas como o desenvolvimento sustentável, as alterações climáticas, a sociedade da informação e a Organização dos Estados Americanos, entre outras. Fez parte do pessoal do Conselho Internacional do Tratado Indígena e do Museu Americano de História Natural, bem como consultor independente para a UNESCO, PBS, e outras instituições notáveis. Escritor publicado, artista e músico de renome, Roberto é membro da Nação Tribal Taíno, um Povo Indígena cuja pátria tradicional se estende através das Grandes Antilhas até à ponta Sul da Florida nos EUA. Em 2012, foi tradicionalmente sancionado um cacique (chefe) da comunidade tribal Guainía Taíno. Tem formação em comunicação e estudos culturais. Roberto está atualmente ao serviço como Diretor Interino da Fundação Tribal Link.

 


Ghazali Ohorella é um idealista e anteambulo para os Povos Indígenas. É indígena do Povo Alifuru de Maluku, com uma crença inabalável num futuro brilhante para todos os Povos Indígenas do mundo. Muitas vezes referido como "uma máquina", tudo o que Ghazali diz e faz é orientado para inspirar e capacitar 476 milhões de Povos Indígenas, para que possam fazer o que os inspira. Ele usa os seus muitos anos de experiência em defesa dos direitos indígenas e negociações de alto nível para abrir espaços e criar um ambiente propício aos Povos Indígenas a nível internacional, construído sobre o direito à autodeterminação.

Mirian Masaquiza Jerez é uma mulher kichwa do Equador, com uma vasta experiência de mais de 20 anos em questões indígenas e mais de 15 anos de experiência a nível internacional. Mirian trabalhou como representante do governo, membro da equipe da ONU e ativista indígena.

Mirian voltou a integrar a ONU em 2010 como Oficial dos Assuntos Sociais na Secção dos Povos Indígenas e Desenvolvimento do Secretariado do Fórum Permanente sobre Questões Indígenas em DESA. A maior parte do seu trabalho está relacionada com os direitos dos povos indígenas, bem como com questões como género, questões culturais e educacionais, alterações climáticas, assuntos inter-agências, divulgação, análise política, e organizações não governamentais. A sua área geográfica de responsabilidade é a América Central e do Sul e o Caribe.

 


Rodion Sulyandziga es un Udege ("Pueblo del bosque"), uno de los poco numerosos Pueblos Indígenas de la comunidad de Siberia Oriental de la Federación Rusa. Su población total es de 1587 personas. Es el director fundador del Centro de Apoyo a los Pueblos Indígenas del Norte/Centro de Formación Indígena de Rusia (CSIPN/RITC) con estatus consultivo especial ante el ECOSOC de la ONU. Desde 2019, Rodion es miembro del Mecanismo de Expertos de la ONU sobre los Derechos de los Pueblos Indígenas (MEDPI) y del Grupo de Trabajo de Facilitación de la LCIP, Plataforma de Comunidades Locales y Pueblos Indígenas sobre el Cambio Climático en el marco de la CMNUCC. Rodion es doctor en ciencias sociales.

 


De ascendencia mixta anishinaabe y europea, Graeme Reed trabalha na Assembleia das Primeiras Nações (AFN) como Conselheiro Político Sênior, assegurando que a política climática federal e internacional salvaguarda os direitos, jurisdição e conhecimentos das Primeiras Nações. Ele teve a oportunidade de representar a AFN na COP 23, COP 24, e COP 25 da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas. Desde 2019, ele tem sido o Co-Presidente do Fórum Internacional dos Povos Indígenas sobre Mudança Climática. No seu tempo livre, é doutorado na Universidade de Guelph, estudando a intersecção da governança indígena, governança ambiental e a crise climática.

 


Morse Caoagas Flores atualmente atua como Oficial de Direitos Humanos no Departamento de Estado de Direito, Igualdade e Não-Discriminação do Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (OHCHR) em Genebra. Como tal, ele funciona tanto como Secretariado do Fundo Voluntário das Nações Unidas para os Povos Indígenas quanto como Coordenador dos Programas de Bolsas de Estudo das Nações Unidas para os Povos Indígenas e Minorias desde 2005.

Antes de seu cargo atual, Morse trabalhou com outras agências da ONU, OSCs e outras organizações intergovernamentais (Organização Internacional do Trabalho, Franciscans International, União Interparlamentar, Parceria dos Povos Indígenas da ONU, etc.) em Genebra por mais de 10 anos em diversas capacidades nos campos dos direitos humanos e da cooperação e desenvolvimento internacional.

 


Q”apaj Conde Choque, Aymara, da Bolívia, é o Oficial Associado de Gestão do Programa na Unidade de Povos e Biodiversidade da Secretaria da Convenção sobre Diversidade Biológica. Anteriormente, atuou como Companheiro Indígena na Organização Mundial da Propriedade Intelectual (2013-14) e Oficial Jurídico no Centro de Estudios Multidisciplinarios-Aymara (2016-17). Como membro da Red de Jóvenes Indígenas-LAC, ele atuou como co-presidente do Global Indigenous Youth Caucus (2017-18). O Sr. Conde estudou Direito na Universidad Mayor de San Andrés. Ele é Mestre em Direito pela Universidade de Sevilha e Doutor em Ciências Jurídicas pelo Programa de Direito e Política dos Povos Indígenas da Universidade do Arizona.

 


Martin Sommerschuh é o Coordenador da Iniciativa do Equador do PNUD. Ele lidera o Prêmio Equador, apoia os diálogos comunitários com os Povos Indígenas e Comunidades Locais e é apaixonado por encontrar formas de escalar as soluções indígenas e locais. Uma visita ao parque Yasuní do Equador transformou o fascínio de Martin por lugares remotos em determinação para ajudar seus administradores tradicionais a administrá-los para o benefício de todos nós. Ele trabalhou com comunidades indígenas que enfrentam a mudança climática e indústrias extrativistas nos Andes e na Amazônia. Fora do Centro Regional do PNUD para a Ásia e o Pacífico, ele apoiou os esforços para melhorar globalmente o acesso dos povos indígenas ao financiamento climático. De nacionalidade alemã, ele possui um mestrado em Ciência Política pela Universidade de Munique. Martin é fluente em espanhol e francês.

 


Jose Francisco Calí Tzay é Maya Kaqchikel, da Guatemala, com experiência na defesa dos direitos dos Povos Indígenas, tanto na Guatemala como a nível das Nações Unidas e da OEA. Ele foi fundador e membro de diferentes organizações indígenas na Guatemala e também Embaixador da Guatemala na República Federal da Alemanha e foi Presidente do Comitê para a Eliminação de todas as formas de Discriminação Racial, um órgão do qual foi eleito por quatro períodos consecutivos de 4 anos cada um. Ele foi Diretor de Direitos Humanos no Ministério das Relações Exteriores da Guatemala; foi membro da Comissão Presidencial contra a Discriminação e o Racismo contra os Povos Indígenas na Guatemala (CODISRA) e Presidente do Programa Nacional de Reparação das Vítimas do Conflito Armado Interno.

 


Tai Pelli é uma escritora e oradora pública e uma Borikén Taíno Tekina, professora indígena Taíno e historiadora do território ancestral caribenho dos Povos Taíno, incluindo Porto Rico. Ela também é Diretora de Relações Internacionais e Direitos Humanos da Confederação Unida do Povo Taíno, e Co-fundadora e Co-Presidente da Organização de Desenvolvimento Ameríndio do Caribe. Tai é defensora dos direitos humanos locais, nacionais e internacionais, dos direitos ambientais, das mulheres e dos direitos dos povos indígenas. Ela tem sido uma Delegada Indígena autorizada e especialista nos Órgãos, Mecanismos e Conferência das Partes das Nações Unidas, particularmente sobre a questão da violência ambiental e seu impacto na saúde reprodutiva e na vida dos Povos Indígenas por muitos anos, representando tanto a Confederação Unida do Povo Taíno quanto o Conselho Internacional do Tratado Indígena.

Perguntas frequentes